top of page

Edição do Climathon Curitiba leva ideias para o desafio mundial

A edição local do maior hackathon ambiental do planeta movimentou mais de 300 pessoas entre organização, inscritos, mentores, embaixadores, apoiadores e comissão julgadora.


Foram revelados os vencedores da edição 2020 do Climathon Curitiba, maior hackathon ambiental do planeta. Durante 70 horas de evento, entre os dias 13 e 16 de novembro, as equipes participantes se debruçaram sobre os dois desafios propostos, focados na cidade de Curitiba e no estado do Paraná, ambos com o objetivo de desenvolver ideias nos cenários de inovação, empreendedorismo e mudanças climáticas.


O Climathon é um evento global que em sua última edição ocorreu em mais de 100 cidades em mais de 50 países dos cinco continentes. O objetivo é que empreendedores desenvolvam alternativas sustentáveis que impactem a vida das pessoas. Na sua etapa estadual cinco equipes foram finalistas na edição do Climathon Curitiba.


A equipe Monitora Tupã, vencedora do desafio estadual, vai representar o Paraná na competição global, em janeiro, junto com outras cerca de 100 equipes. O projeto oferece uma plataforma de alertas climáticos baseada em equipamentos meteorológicos de baixo custo para monitorar chuva, umidade e GEE nas cidades e no campo e foi desenvolvido por Nayana Machado, Renan Nelsen, Dirceu Pauka Junior e Fernanda Vissirini.

Outra equipe vencedora e que será representante do nível global, é a Curitiba Futurae que trouxe a ideia de uma aplicativo com um sistema de benefícios e gamificação para incentivar a migração dos usuários de veículos motorizados para os modos ativos de deslocamento, e foi desenvolvido por Simara Maceno, Maira Manfro, Matheus Falasco, Lilian Ferreira e Marcos Santana.


As demais equipes finalistas também terão suas ideias acompanhadas e junto com o auxílio do Impact Hub Curitiba e seus parceiros, poderão aprimorar seus projetos e trazer resultados reais para nossas cidades e estados.


Confira as equipes finalistas:

Cuidadores da Natureza, criou um chatbot para encaminhar informações seguras e simplificadas sobre as condições do tempo aos pescadores do Paraná. O projeto foi criado por Debora Pinheiro Alves, Maria Helena Leviski Alves, Nicolas dos Santos Rosa e Vitor Alves.


Go Cycling, criou o sistema de transporte turístico com triciclo construído a partir do alumínio e pneus reciclados obtidos por meio de cooperativas de coletores. O projeto foi desenvolvido por Isabela Suplicy, Isadora Castanho, Leandro Mashiba e Raphael Frederico.


Cia Verde Urbana, desenvolveu um roteiro cultural de grafites e arte de rua para ser feito totalmente a pé ou de bicicleta. A ideia foi produzida por Alysson Donaiski, Camila Fonseca Carneiro, Guilherme Otto e Antônia Tauane Rodrigues de Sousa.

Desenvolvimento dos Desafios

Pela primeira vez o Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, atuou como parceiro do projeto, com o Desafio Paraná. Os participantes tiveram que apresentar soluções para prevenção e alerta de eventos climáticos extremos para a população da cidade e do campo.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, afirma que envolver jovens empreendedores na busca por soluções ambientais é indutor ao desenvolvimento. “Eles conseguem nos apresentar soluções para áreas que necessitam de atenção e um novo olhar”, disse Nunes, destacando que a temática das mudanças climáticas ganhou espaço com a reestruturação feita na Secretaria.


Políticas públicas para amenizar os impactos provocados pelas mudanças climáticas no Paraná já são discutidas pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. A diretora-geral, Fabiana Campos, destaca que todo o planejamento estratégico é pautado também pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).


“O ODS 13, que trata especificamente das mudanças climáticas, teve a atenção voltada diretamente para as políticas ambientais e o Simepar”, explica. “O plano estadual de mudanças climáticas, parado desde 2015, foi retomado no ano passado e reformulado, o que nos levou à criação do Paranaclima”, completa.

“A natureza tem nos mostrado sinais. Neste ano, tivemos uma série de desastres e fenômenos naturais de grande monta no Estado, como queimadas e incêndios em florestas, enchentes e períodos de grande escassez também”, lembra o coordenador de Projetos Sustentáveis da Secretaria, Charles Carneiro.

De acordo com ele, foram esses sinais que contribuíram para a criação do Paranaclima, programa que desenvolve ações de prevenção, adaptação e mitigação dos efeitos das mudanças climáticas.

“O tema mudanças climáticas é um dos mais estudados e pesquisados no mundo. No Paraná, a expectativa é gerar soluções importantes com o Paranaclima, desenvolvido em parceria com o Simepar”.


Já o parceiro junto com o Desafio Curitiba, foi o PlanClima – Plano Municipal de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima de Curitiba que por meio de decreto nº 498 vem desenvolvendo medidas e ações para a mudança dos impactos negativos gerados na capital.


O projeto considera a necessidade permanente de aperfeiçoamento da capacidade de resiliência da cidade para fenômenos climáticos extremos; assim como a necessidade de estabelecer a estratégia de Curitiba para lidar com as mudanças climáticas futuras; considerando a necessidade da construção das medidas de adaptação em conjunto com a sociedade civil organizada; e de se trabalhar as ações para a mitigação de efeitos climáticos antropogênicos, incluindo controle de emissões de gases de efeito estufa e estabelecer metas para sua redução.


Para acompanhar os próximos passos do programa Climathon Curitiba, siga o Instagram oficial @climathoncuritiba ou acesso o site www.climathoncuritiba.com.br


Link para publicação: https://impacthubcuritiba.com/edicao-do-climathon-curitiba-leva-ideias-para-o-desafio-mundial/

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page